quantos segundos

dura uma nuvem de poeira

Um terremoto abre uma fenda na terra e divide um país inteiro em dois lados. Em vários lados. Por conta disso, um grupo de amigos parte para as Ilhas Galápagos, lugar onde Darwin iniciou seus estudos sobre a teoria da espécies, com o intuito de recriarem e preservarem experiências individuais e coletivas de memória e esquecimento, num espaço de intersecção entre ficção e realidade. Ao se defrontarem com o comportamento dos animais, traçam um paralelo com as suas próprias relações fragilizadas e percebem o quanto estão regredindo por terem deixado algo muito importante ser esquecido: o afeto.

Ficha Técnica

Direção: Roberto Audio

Texto: Ana Pereira, Angela Ribeiro, Roberto Audio, Washington Calegari.

Elenco: Ana Lúcia Felippe, Ana Pereira, Angela Ribeiro, Fabiana Souza, Marba Goicochea, Rodolfo Morais, Teka Romualdo, Wanderley Salgado e Washington Calegari.

Direção de movimento: Fabiano Benigno

Figurinos: Rosângela Ribeiro

Cenografia: Cia. Bruta de Arte

Iluminação: Paulo Maeda

Sonoplastia: Érico Theobaldo

Produção: Rodolfo Morais e Barbara Morais

Projeto Gráfico: Angela Ribeiro

 

 

pequeno-burgueses, rapsódia

em duas partes

Pequenos Burgueses, escrita no início do século XX, é a primeira peça do escritor russo Maksim Górki, importante figura intelectual do chamado Realismo Social, corrente que representava um elo na literatura entre o naturalismo
e a expressão da consciência social. A ação se passa na casa da família Bessemenov, na Rússia de 1902. Tatiana e Piotr, jovens pertencentes à intelectualidade russa, são filhos de Vassili e Akoulina. Confinados no espaço familiar pequeno-burguês, as personagens travam um embate de gerações e convicções, sem nunca romper a estrutura familiar e social que tanto questionam. Ao redor desta família estão os pensionistas Tetereiev, Chichkin e Elena, que funcionam como um contraponto ideológico aos Bessemenov. A trama atinge seu ápice quando o filho adotivo
da família, Nil, decide se casar com Polia, empregada da família, abandonando o ambiente familiar. A peça, que não segue uma linha de ação única, apresenta um mosaico de situações cotidianas a partir do cruzamento
de personagens que desenvolvem diferentes papéis na sociedade, gerando assim tensões e embates.

máquina de dar certo

Os estudos sobre o comportamento, a partir das pesquisas de Frederic Skinner, originou o novo trabalho da Cia. Bruta de Arte, a peça Máquina de Dar Certo. O psicólogo estadunidense, precursor do que se chamou de behaviorismo radical, procurou entender o comportamento humano a partir das respostas de sua interação com o ambiente, e com isso criou a "máquina de ensinar", uma espécie de aparelho de perguntas e respostas que, segundo ele, facilitaria a aprendizagem de alunos nas escolas.

 

Em Máquina de Dar Certo os dez atores são sempre testados em questões como interatividade, regras comportamentais, observado e observador, enclausuramento e estímulos sonoros e visuais buscando a espetacularização do condicionamento humano.

 

Máquina de dar Certo representa um fragmento na vida desses personagens, que se submetem a um invento “espetacular” com o intuito de se adequarem, de serem reconhecidos e aceitos e consequentemente de obterem êxito de alguma maneira.

 

Ficha Técnica
Direção | Roberto Audio
Atores | Ana Lúcia Felippe, Angela Ribeiro, Dagoberto Macedo, Luis Gustavo Luvizotto (Temporada Penha), Marba Goicochea, Maria Campanelli Haas (Temporada TUSP), Paulo Maeda, Ricardo Socalschi, Taiguara Chagas (Temporada TUSP, Cacilda Becker, Penha), Teka Romualdo, Thammy Alonso, Wanderley Salgado e Washington Calegari (Temporada Parlapatões).
Assistente de Direção | Paulo Maeda
Iluminação | Paulo Maeda e Mário Spatizianni
Direção de Movimento | Fabiano Benigno Trilha Sonora | Cia. Bruta de Arte
Pesquisa de Efeitos e Edição de Trilha | Thammy Alonso e Diego Rodda
Música Original | Helder da Rocha Figurinos | Angela Ribeiro e Melissa Campagnolli
Fotos | Giorgio D’Onofrio e Carlos Vianna
Projeto Gráfico | Angela Ribeiro
Produção | Cia. Bruta de Arte

 

Esse espetáculo cumpriu as seguintes temporadas:

Espaço dos Parlapatões (Março a Junho de 2012)

TUSP - Teatro da USP (28 de Setembro a 28 de Outubro de 2012)

Teatro Cacilda Becker (23 de Novembro a 16 de Dezembro de 2012)

Teatro Martins Penna (22 de Fevereiro a 31 de Março de 2013)

Assento Reservado

 

"Assento Reservado - Experimento Número 1" é o

resultado dos primeiros estudos da Cia. Bruta de Arte

sobre o Behaviorismo, apresentado no evento Satyrianas,

em São Paulo, em 2010. Serviu de base para a criação do espetáculo "Máquina de Dar Certo".

 

Ficha Técnica
Direção | Roberto Audio
Atores | Ana Lúcia Felippe, Ana Pereira, Angela Ribeiro, Dagoberto Macedo, Helder da Rocha, Marba Goicochea, Maria Campanelli Haas, Ricardo Socalschi, Teka Romualdo, Thammy Alonso, Thiago Franco Balieiro e Wanderley Salgado.

Assistente de Direção: Washington Calegari
Iluminação | Paulo Maeda.
Direção de Movimento | Fabiano Benigno

Trilha Sonora | Cia. Bruta de Arte
Música Original | Helder da Rocha

Figurinos | Angela Ribeiro
Projeto Gráfico | Angela Ribeiro
Produção | Cia. Bruta de Arte

 

Este espetáculo foi apresentado no Festival das Satyrianas 2010.

Cine Belvedere

 

 

Christoph Lichtmann é um antigo diretor e produtor de cinema que sofre de uma doença rara que o impossibilita de dormir e, consequentemente, de sonhar. Todas as noites, em sua madrugadas solitárias, reprisa os sonhos de sua própria família relatados à criada Pacha, responsável pelas anotações.

 

Na passagem do tempo, que ele não sente, apropria-se de sonhos que não são seus e sonha pelos sonhos dos outros. Talvez para encontrar a si mesmo ou então descobrir que ele também é apenas um sonho de alguém. O público acompanha diversos momentos da vida de uma família, cujas histórias foram preservadas por meio de um diário de sonhos.Como num filme, cada gesto e cada imagem, de realidade, sonho ou devaneio, ajudam a construir os arranjos e desarranjos dos personagens – dos pais às filhas, dos empregados às amantes do patriarca. Neste casarão vazio de móveis, nesta família cheia de vazios, o sonho pode ser a única realidade.
 

"Cine Belvedere" é resultado de um ano e meio de pesquisa sobre o universo onírico e os distúrbios do sono, coordenada por Roberto Audio, que também dirigiu o espetáculo. Cumpriu temporada de um ano, entre 2009 e 2010, no Casarão do Belvedere.

 

 

Ficha Técnica
Direção | Roberto Audio

Assistente de Direção: Washington Calegari

Texto e Dramaturgia: Cia. Bruta de Arte
Atores | Ana Lúcia Felippe, Ana Pereira, Angela Ribeiro, Fabiana Souza, Helder da Rocha, Marba Goicochea, Maria Campanelli Haas, Paulo Maeda, Ricardo Socalschi, Teka Romualdo, Thammy Alonso, Thiago Franco Balieiro, Wagner Mendonça e Wanderley Salgado.

Assistente de Direção: Washington Calegari
Iluminação | Guilherme Bonfanti

Assistente de Iluminação | Grissel Piguillem
Direção de Arte e Elementos Cenográficos | Paulo Vereda 

Trilha Sonora | Cia. Bruta de Arte
Música Original | Helder da Rocha

Programação Visual | Cleber Rodrigo

Máscaras | José Toro Moreno

Assistente de Cena e Contra Regra | Dagoberto Macedo
Ass. de Imprensa | Sylvio Novelli - Assessoria em Comunicação 

Figurinos | Angela Ribeiro e Keila Akemi

Assistente de Figurinos | Andréa Peixinho

Assistente de Produção | Denise Janoski

Co-Produção | Casarão do Belvedere
Produção | Cia. Bruta de Arte

 

Este espetáculo cumpriu a seguinte temporada:

Casarão do Belvedere (Agosto de 2009 a Dezembro de 2010)

El Truco

 

Será uma peça dentro de um livro ou um livro dentro de uma peça?

 

Yan Stockler é um escritor que narra suas vivências enquanto esteve aprisiodo num bunker, durante uma guerra desconhecida.  O livro "El truco" conta a história de um grupo de sobreviventes que tenta ensaiar o espetáculo “Sonho de uma Noite de Verão”, de William Shakespeare. A idéia detona muitos conflitos, nos quais as histórias dos personagens se misturam, num enredo que funde ficção e realidade.

 

Ficha Técnica
Direção e Texto | Roberto Audio

Assistente de Direção | Diego Andrade

Coordenação do Projeto Pedagógico do NES | Silvanah Santos
Atores | Ana Lúcia Felippe, Ana Pereira, Andressa cabral, Angela Ribeiro, Edna Elizabeth, Fabiana Souza, Helder da Rocha, Marba Goicochea, Maria Campanelli Haas, Paulo Maeda, Ricardo Socalschi, Teka Romualdo, Thammy Alonso, Thiago Franco Balieiro, Wagner Mendonça, Wanderley Salgado e Washington Calegari.

Participação Especial | Cléo de Páris, Ivam Cabral e Laerte Késsimos
Iluminação | Rodolfo Garcia Vazquez

Operador de Luz | Danilo Casseano

Trilha Sonora | Roberto Audio
Operador de Som | Antônio Ribeiro 

Programação Visual | Angela Ribeiro e Laerte Késsimos

Máscaras | José Toro Moreno

 

Este espetáculo cumpriu a seguinte temporada:

Espaço dos Satyros II (Agosto a dezembro de 2007).

Vestir o Corpo de Espinhos

 

O espetáculo nasceu do estudo da vida e da obra de Antonin Artaud, quando o elenco ainda integrava o Núcleo Experimental do Satyros. Sob direção de Alberto Guzik, "Vestir o Corpo de Espinhos" foi criado a partir do método da escrita automática dos atores, inspirados no Teatro da Crueldade de Artaud. Com Vestir o Corpo de Espinhos, o grupo participou, em 2006, do Festival Playoff, na Alemanha, que reuniu jovens talentos do teatro de 15 países.

 

Ficha Técnica
Direção | Alberto Guzik

Assistente de Direção e Dramaturgia| Laerte Késsimos

Coordenação do Processo | Alberto Guzik, Ivam Cabral, Rodolfo Vázquez e Laerte Késsimos
Atores | Ana Karina Linhares, Ana Lúcia Felippe, Ana Pereira, Andressa cabral, Angela Ribeiro, Fabiana Souza, Helder da Rocha, Paulo Maeda, Peterson Ramos, Teka Romualdo, Wagner Mendonça, Wanderley Salgado e Washington Calegari.

Texto, Dramaturgia e Figurino | Núcleo Experimental dos Satyros
Operador de Luz | Peterson Ramos

Piano, Acordeón e Trilha Sonora Original | Helder da Rocha
Operador de Som | Andressa Cabral 

Programação Visual | Angela Ribeiro

 

Este espetáculo cumpriu a seguinte temporada:

Espaço dos Satyros I (Agosto a Dezembro de 2006)