QUANTOS SEGUNDOS DURA UMA NUVEM DE POEIRA

Um terremoto abre uma fenda na terra e divide um país inteiro em dois lados. Em vários lados. Por conta disso, um grupo de amigos parte para as Ilhas Galápagos, lugar onde Darwin iniciou seus estudos sobre a teoria da espécies, com o intuito de recriarem e preservarem experiências individuais e coletivas de memória e esquecimento,num espaço de intersecção entre ficção e realidade. Ao se defrontarem com o comportamento dos animais, traçam um paralelo com as suas próprias relações fragilizadas e percebem o quanto estão regredindo por terem deixado algo muito importante ser esquecido: o afeto.

Quantos Segundos Dura Uma Nuvem de Poeira é o novo espetáculo da Cia. Bruta de Arte. Com esse trabalho, o grupo pretende acionar experiências individuais e coletivas de memória e esquecimento e despertar no outro o resgate de suas próprias lembranças. A reconstrução de memórias se fundamenta nas relações entre as experiências pessoais e o contexto político-social partindo de questionamentos vitais em uma sociedade em que se afloram a intolerância e o desentendimento.

 

O que jamais poderia ser esquecido? Como resgatar o afeto que nos une, apesar das diferenças? A partir de um jogo vivo de memória, invenção e esquecimento, os atores pretendem recriar com o público diferentes momentos do passado, para, no presente, vivenciarem uma experiência conjunta, um novo registro coletivo de memórias, reais ou ficcionais.

FICHA TÉCNICA QUANTOS SEGUNDOS DURA UMA NUVEM DE POEIRA

 

Direção: Roberto Audio

Texto: Ana Pereira, Angela Ribeiro, Roberto Audio, Washington Calegari.

Elenco: Ana Lúcia Felippe, Ana Pereira, Angela Ribeiro, Fabiana Souza, Marba Goicochea, Rodolfo Morais, Teka Romualdo, Wanderley Salgado e Washington Calegari.

Direção de movimento: Fabiano Benigno

Figurinos: Rosângela Ribeiro

Cenografia: Cia. Bruta de Arte

Iluminação: Paulo Maeda

Sonoplastia: Érico Theobaldo

Produção: Rodolfo Morais e Barbara Morais

Projeto Gráfico: Angela Ribeiro